Atalho: 6WLDVNJ
Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: medidas comportamentais de perda de peso podem ajudar pessoas com doença mental grave

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O sobrepeso1 e a obesidade2 são epidêmicos entre pessoas com doença mental grave, mas ensaios clínicos3 sobre perda de peso sistematicamente ainda excluem esta população vulnerável. As intervenções no estilo de vida necessitam de adaptação neste grupo de pacientes, porque os sintomas4 psiquiátricos e de comprometimento cognitivo5 são altamente prevalentes.

O objetivo do trabalho, publicado pelo New England Journal of Medicine (NEJM), foi determinar a eficácia de uma intervenção comportamental para perda de peso em adultos com doença mental grave.

Foram recrutados aleatoriamente para uma intervenção ou para um grupo controle adultos com sobrepeso1 ou obesidade2 de dez programas comunitários ambulatoriais psiquiátricos e de reabilitação. Os participantes do grupo de intervenção receberam sessões individuais e em grupo a respeito da gestão do peso e sessões de exercícios físicos em grupo. As mudanças no peso corporal foram avaliadas com 6, 12 e 18 meses.

Os resultados mostraram que dos 291 participantes que se submeteram à randomização, 58,1% tinha esquizofrenia6 ou transtorno esquizoafetivo; 22,0% tinham transtorno bipolar e 12,0% tinham depressão maior. No início do estudo, o índice de massa corporal7 médio (o peso em quilogramas dividido pelo quadrado da altura em metros) foi de 36,3 e o peso médio foi de 102,7 kg. Os dados sobre o peso aos 18 meses foram obtidos a partir de 279 participantes. A perda de peso no grupo da intervenção aumentou progressivamente ao longo do período de acompanhamento e diferiu significativamente do grupo controle em cada visita de avaliação. Aos 18 meses, 37,8% dos participantes do grupo de intervenção perderam 5% ou mais do seu peso inicial, em comparação com 22,7% dos que estavam no grupo controle (P = 0,009).

Concluiu-se que uma intervenção comportamental para perda de peso reduziu significativamente o peso ao longo de um período de 18 meses em adultos com sobrepeso1 ou obesidade2 e portadores de doença mental grave. Dada a epidemia de obesidade2 e as doenças relacionadas ao aumento do peso entre as pessoas com doença mental grave, estes achados apoiam a implementação de medidas comportamentais de perda de peso para esta população de alto risco.

Fonte: NEJM, de 21 de março de 2013 

NEWS.MED.BR, 2013. NEJM: medidas comportamentais de perda de peso podem ajudar pessoas com doença mental grave. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/344814/nejm-medidas-comportamentais-de-perda-de-peso-podem-ajudar-pessoas-com-doenca-mental-grave.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
2 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
3 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
6 Esquizofrenia: Doença mental do grupo das Psicoses, caracterizada por alterações emocionais, de conduta e intelectuais, caracterizadas por uma relação pobre com o meio social, desorganização do pensamento, alucinações auditivas, etc.
7 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
Gostou do artigo? Compartilhe!