Atalho: 6JBSLDY
Gostou do artigo? Compartilhe!

Dietas com baixa ingestão de carboidratos e alto teor de proteínas podem estar associadas ao aumento do risco para doenças cardiovasculares, segundo publicação do BMJ

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo publicado pelo British Medical Journal (BMJ) avaliou as consequências em longo prazo do uso de uma dieta pobre em carboidratos, geralmente acompanhada por um aumento concomitante na ingestão de proteínas1, sobre a saúde2 cardiovascular.

No estudo prospectivo3 de coorte4, realizado na Suécia, uma amostra populacional aleatória de 43.396 mulheres suecas, com idades entre 30 a 49 anos no início do estudo, completou um extenso questionário sobre hábitos alimentares e foi acompanhada por uma média de 15,7 anos.

Avaliou-se a associação entre novos casos de doenças cardiovasculares5 e a diminuição da ingestão de carboidratos e o aumento do teor de proteínas1 na dieta, fazendo-se os ajustes necessários.

A diminuição na ingestão de carboidratos ou o aumento na ingestão de proteínas1 foram estatisticamente significativos na associação com o aumento na incidência6 de doenças cardiovasculares5 como um todo. Não havia heterogeneidade na associação de nenhum destes escores com os cinco desfechos cardiovasculares estudados: doenças isquêmicas do coração7 (n=703), acidente vascular cerebral8 isquêmico9 (n=294), acidente vascular cerebral8 hemorrágico10 (n=70), hemorragia subaracnoide11 (n=121) e doença arterial periférica (n=82).

Dietas com baixa ingestão de carboidratos e alto teor de proteínas1, usadas com regularidade e sem considerar a natureza dos carboidratos ou a fonte das proteínas1, estão associadas ao aumento do risco para doenças cardiovasculares5.

Fonte: British Medical Journal, de 26 de junho de 2012

 

NEWS.MED.BR, 2012. Dietas com baixa ingestão de carboidratos e alto teor de proteínas podem estar associadas ao aumento do risco para doenças cardiovasculares, segundo publicação do BMJ. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/308445/dietas-com-baixa-ingestao-de-carboidratos-e-alto-teor-de-proteinas-podem-estar-associadas-ao-aumento-do-risco-para-doencas-cardiovasculares-segundo-publicacao-do-bmj.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
5 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
8 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
9 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
10 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
11 Hemorragia subaracnoide: Hemorragia subaracnoide ou subaracnoidea é um derramamento de sangue que se dá no espaço subaracnoideo compreendido entre duas meninges, a aracnoide e a pia-máter. Este espaço contém o líquor. Essas meninges, além da dura-máter, são membranas que envolvem o sistema nervoso. A origem habitual deste sangue é a ruptura de um vaso sanguíneo enfraquecido (quer seja por uma malformação arteriovenosa, quer por um aneurisma). Quando um vaso sanguíneo está afetado pela aterosclerose ou por uma infecção, pode produzir-se a rotura do mesmo. Tais rupturas podem ocorrer em qualquer idade, sendo mais frequentes entre os 25 e os 50 anos. Raramente ela ocorre por um traumatismo craniano.
Gostou do artigo? Compartilhe!