Gostou do artigo? Compartilhe!

Novas descobertas sobre a pré-eclâmpsia dão passo em direção ao desenvolvimento de teste antecipado e eventual cura

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia
A equipe do Instituto Nacional de Saúde1 dos Estados Unidos descobriu que mulheres com pré-eclâmpsia2 acumulam altas concentrações de duas proteínas3 vários meses antes de desenvolver o problema. A pesquisa foi recentemente publicada no New England Journal of Medicine.

Foram analisados resultados de exames de sangue4 de 4,5 mil mulheres grávidas. Os pesquisadores descobriram que 120 mulheres que participaram dos testes e desenvolveram pré-eclâmpsia2 mais tarde na gravidez5 tinham no sangue4 concentração alta da forma solúvel de duas proteínas3 - endoglina e tirosina6-quinase 1 tipo fms - em comparação com as que não desenvolveram o problema.

Estes níveis elevados das proteínas3 podem ser encontrados até três meses antes do desenvolvimento da pré-eclâmpsia2. De acordo com os pesquisadores, não ficou esclarecido exatamente como o desequilíbrio causou a pré-eclâmpsia2, embora tenham sugerido que isso pode privar vasos sangüíneos7 de nutrientes essenciais, levando-os à debilidade e morte.

A pré-eclâmpsia2 é causada por um defeito na placenta, que fornece nutrientes e oxigênio para o feto8. O problema ocorre no período final da gravidez5 e até uma em cada dez mulheres grávidas pode ter pré-eclâmpsia2. Estima-se que uma em 50 sofra graves problemas de saúde1 em decorrência da doença.

De acordo com dados do Consenso Brasileiro de Cardiopatia e Gravidez5, a incidência9 no Brasil é de cerca de 10%, figurando como principal causa de morte materna.

Os cientistas ainda não compreendem totalmente o que causa o defeito da placenta, embora se saiba que o risco esteja ligado a fatores como ocorrência de casos prévios numa família, primeira gravidez5 e idade acima de 40 anos.

Apesar da descoberta ser um passo importante no desenvolvimento da cura da pré-eclâmpsia2, especialistas ressaltaram que a perspectiva de ter um teste antecipado e eventual cura ainda é distante.

Fonte:  The New England Journal of Medicine
           PubMed
NEWS.MED.BR, 2006. Novas descobertas sobre a pré-eclâmpsia dão passo em direção ao desenvolvimento de teste antecipado e eventual cura. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1873/novas-descobertas-sobre-a-pre-eclampsia-dao-passo-em-direcao-ao-desenvolvimento-de-teste-antecipado-e-eventual-cura.htm>. Acesso em: 20 nov. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Pré-eclâmpsia: É caracterizada por hipertensão, edema (retenção de líquidos) e proteinúria (presença de proteína na urina). Manifesta-se na segunda metade da gravidez (após a 20a semana de gestação) e pode evoluir para convulsão e coma, mas essas condições melhoram com a saída do feto e da placenta. No meio médico, o termo usado é Moléstia Hipertensiva Específica da Gravidez. É a principal causa de morte materna no Brasil atualmente.
3 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Tirosina: É um dos aminoácidos polares, sem carga elétrica, que compõem as proteínas, caracterizado pela cadeia lateral curta na qual está presente um anel aromático e um grupamento hidroxila.
7 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
8 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
9 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!