Gostou do artigo? Compartilhe!

Períodos curtos de uso de corticosteroide oral foram associados a eventos adversos potencialmente graves em crianças

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Existem danos potenciais associados a períodos curtos de uso de corticosteroides orais (definidos como o uso de corticosteroides orais por 14 dias ou menos) em crianças?

Os efeitos adversos do uso prolongado de corticosteroides orais são conhecidos, mas, até onde se sabe, poucos estudos relataram o risco de períodos curtos de uso de corticosteroides, principalmente em crianças.

Leia sobre "Conhecendo melhor os corticoides" e "Uso de medicamentos em crianças".

O objetivo desse estudo, publicado no JAMA Pediatrics, foi quantificar as associações de períodos curtos de uso de corticosteroides com eventos adversos graves em crianças, incluindo sangramento gastrointestinal, sepse1, pneumonia2 e glaucoma3.

Este estudo de coorte4 usou dados derivados do National Health Insurance Research Database em Taiwan de 1º de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2017, em crianças menores de 18 anos de idade, e usou um design de série de casos autocontrolada. Os dados foram analisados ​​de 1º de janeiro a 30 de julho de 2020.

Foram calculadas as taxas de incidência5 de 4 eventos adversos graves (sangramento gastrointestinal, sepse1, pneumonia2 e glaucoma3) em crianças que receberam ou não doses de corticosteroides. A regressão de Poisson de efeito fixo condicional foi usada para estimar as razões de taxa de incidência5 (IRRs) de eventos adversos graves em 5 a 30 dias e 31 a 90 dias após o início do período curto de uso de corticosteroide.

Entre 4.542.623 crianças, 23% (1.064.587; 544.268 meninos [51,1%]; idade média [DP], 9,7 [5,8] anos) foram prescritas uma única dose de corticosteroide. As indicações mais comuns foram infecções6 agudas do trato respiratório e doenças alérgicas.

As diferenças na taxa de incidência5 por 1000 pessoas-ano entre crianças que receberam uma única dose de corticosteroide e aquelas para as quais não foram prescritos corticosteroides foram 0,60 (IC 95%, 0,55-0,64) para sangramento gastrointestinal, 0,03 (IC 95%, 0,02-0,05) para sepse1, 9,35 (IC 95%, 9,19-9,51) para pneumonia2 e 0,01 (IC 95%, 0,01-0,03) para glaucoma3.

As IRRs dentro de 5 a 30 dias após o início do período curto de uso de corticosteroide foram 1,41 (IC 95%, 1,27-1,57) para sangramento gastrointestinal, 2,02 (IC 95%, 1,55-2,64) para sepse1, 2,19 (IC 95%, 2,13-2,25) para pneumonia2 e 0,98 (IC 95%, 0,85-1,13) para glaucoma3; as IRRs nos 31 a 90 dias subsequentes foram 1,10 (IC 95%, 1,02-1,19) para sangramento gastrointestinal, 1,08 (IC 95%, 0,88-1,32) para sepse1, 1,09 (IC 95%, 1,07-1,11) para pneumonia2, e 0,95 (IC 95%, 0,85-1,06) para glaucoma3.

Este estudo sugere que períodos curtos de uso de corticosteroides, que são comumente prescritos para crianças com condições respiratórias e alérgicas, estão associados a um risco 1,4 a 2,2 vezes maior de sangramento gastrointestinal, sepse1 e pneumonia2 no primeiro mês após o início da corticoterapia, que é atenuado durante os 31 a 90 dias subsequentes.

Dessa forma, os médicos devem estar cientes dos eventos adversos potencialmente graves associados a períodos curtos de uso de corticosteroides em crianças.

Veja também sobre "Hemorragias7", "Pneumonia2 na infância", "Septicemia8" e "Alergia9 respiratória".

 

Fonte: JAMA Pediatrics, publicação em 19 de abril de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Períodos curtos de uso de corticosteroide oral foram associados a eventos adversos potencialmente graves em crianças. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1393195/periodos-curtos-de-uso-de-corticosteroide-oral-foram-associados-a-eventos-adversos-potencialmente-graves-em-criancas.htm>. Acesso em: 16 jun. 2021.

Complementos

1 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
2 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
3 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
4 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
8 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
9 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!