Gostou do artigo? Compartilhe!

Beber mais de um refrigerante por dia, mesmo que em versão diet, aumenta o risco de desenvolver síndrome metabólica

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo publicado na revista Circulation revela que o hábito de beber mais de um refrigerante por dia, mesmo que em versão diet, pode estar associado a um aumento dos fatores de risco para a síndrome metabólica1. O consumo de refrigerantes já foi associado ao risco de obesidade2 em crianças e adolescentes, mas não estava claro se este hábito aumentava o risco de desenvolver síndrome metabólica1 em indivíduos de meia idade.

 

O estudo coordenado por Ramachandran Vasan, pesquisador e professor da Escola de Medicina da Universidade de Boston, relata que, observando apenas os indivíduos livres da síndrome metabólica1 (6.039 dos indivíduos acompanhados no estudo), o consumo diário de um ou mais refrigerantes foi associado a um risco 44% maior de desenvolvimento da síndrome3 durante um período de quatro anos.

 

A síndrome metabólica1 é caracterizada por um conjunto de fatores de risco cardiovasculares, relacionados com resistência à insulina4 e obesidade2 abdominal. A associação desta síndrome3 com doença cardiovascular aumenta a mortalidade5 geral em cerca de 2 vezes e a mortalidade5 cardiovascular em 3 vezes.

 

Os indivíduos portadores de três ou mais dos seguintes critérios devem ser considerados como portadores de síndrome metabólica1:

 

  • Obesidade2 abdominal (visceral), medida ao nível médio do abdome6: cintura maior que 102cm em homens e maior que 88cm em mulheres;

  • Hipertrigliceridemia maior que 150 mg/dL7;

  • HDL colesterol8 menor que 40 mg/dL7 em homens e menor que 50 mg/dL7 em mulheres;

  • Hipertensão arterial9 sistêmica maior que 135/85 mmHg;

  • Glicemia de jejum10 maior que 100 mg/dL7

 

Fonte: Circulation

NEWS.MED.BR, 2007. Beber mais de um refrigerante por dia, mesmo que em versão diet, aumenta o risco de desenvolver síndrome metabólica. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11534/beber-mais-de-um-refrigerante-por-dia-mesmo-que-em-versao-diet-aumenta-o-risco-de-desenvolver-sindrome-metabolica.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.

Complementos

1 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
2 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
3 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
4 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
7 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
8 HDL colesterol: Do inglês high-density-lipoprotein cholesterol, ou colesterol de alta densidade. Também chamado de bom colesterol.
9 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
10 Glicemia de jejum: Teste que checa os níveis de glicose após um período de jejum de 8 a 12 horas (frequentemente dura uma noite). Este teste é usado para diagnosticar o pré-diabetes e o diabetes. Também pode ser usado para monitorar pessoas com diabetes.
Gostou do artigo? Compartilhe!