Atalho: 5GH4ET6
Gostou do artigo? Compartilhe!

A casca da maçã possui nutrientes, antioxidantes e substâncias que evitam a proliferação de células tumorais humanas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

De acordo com um estudo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry de 18 de maio de 2007, os componentes que protegem contra o câncer1 são encontrados na casca da maçã e não em sua polpa.

Os pesquisadores analisaram a composição química da casca da maçã e identificaram uma alta concentração de fitoquímicos que já mostraram propriedades antioxidantes e contra 3 tipos diferentes de células2 tumorais humanas, incluindo células2 da mama3, do cólon4 e do fígado5.

Dietas ricas em frutas e vegetrais já mostraram reduzir o risco de câncer1, doenças cardíacas, diabetes6 e outras doenças crônicas. Mas os pesquisadores dizem que eles estão apenas começando a entender exatamente quais são os componentes que, encontrados em frutas e vegetais, são responsáveis por esses benefícios para a saúde7.

Os estudos recentes estão focados nas propriedades anti-cancerígenas de um grupo de fitoquímicos conhecidos como fenólicos, os quais são tipicamente encontrados em sementes e cascas de frutas e vegetais. A média de fenólicos encontrados em uma maçã varia de 110 a 347 miligramas por 100 gramas de maçãs frescas. As maçãs também são ricas em outro grupo de componentes saudáveis: os flavonóides.

O estudo concluiu que a casca da maçã é rica em nutrientes, antioxidantes e possui substâncias que colaboram para a não proliferação de células2 tumorais humanas.

Fonte: Journal of Agricultural and Food Chemistry

NEWS.MED.BR, 2007. A casca da maçã possui nutrientes, antioxidantes e substâncias que evitam a proliferação de células tumorais humanas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11301/a-casca-da-maca-possui-nutrientes-antioxidantes-e-substancias-que-evitam-a-proliferacao-de-celulas-tumorais-humanas.htm>. Acesso em: 11 dez. 2018.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
4 Cólon:
5 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!