Gostou do artigo? Compartilhe!

Assistir televisão durante punção venosa em criança tem efeito analgésico

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia
Crianças que são distraídas assistindo televisão durante punção venosa relatam sentir menos dor do que aquelas distraídas por suas mães. Os resultados são de um estudo publicado na edição de 28 de Novembro do Archives of Disease in Childhood.

Os pesquisadores reconhecem a importância da colaboração dos pais para que as crianças lidem bem com a dor, pela sua presença ou por fornecer distração. Também sabem do poder da televisão de capturar a atenção das crianças. A diferença é que o primeiro é ativo e envolve afetividade - embora o medo da própria mãe possa ser passado para a criança - enquanto o segundo é passivo.

Foram estudadas 69 crianças entre 7 e 12 anos durante punção venosa. As crianças foram divididas em 3 grupos de 23 crianças. Os controles não receberam distração. Uns receberam distração por suas mães e outros assistiram desenhos pela televisão. Não foram utilizados anestésicos tópicos. Após a punção venosa, as mães e as crianças usaram uma escala conhecida como Oucher Scale para relatar o score da intensidade da dor durante o procedimento.

Assistir TV foi significantemente mais eficaz do que a distração ativa pelas mães. Os autores reconhecem que o estudo possui limitações, já que não é um estudo duplo-cego1, mas sugerem que estes resultados sejam devido ao envolvimento emocional das mães com o procedimento, ou seja, da dificuldade que elas têm de distrair seus filhos quando eles estão sentindo dor ou ao poder passivo de distração pela TV. A presença das mães traz conforto mesmo se a dor não é reduzida, segundo os pesquisadores.

Fonte: Archives of Disease in Childhood

NEWS.MED.BR, 2006. Assistir televisão durante punção venosa em criança tem efeito analgésico. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/10434/assistir-televisao-durante-puncao-venosa-em-crianca-tem-efeito-analgesico.htm>. Acesso em: 19 set. 2019.

Complementos

1 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
Gostou do artigo? Compartilhe!