Gostou do artigo? Compartilhe!

Neurology: anti-inflamatórios não-esteroides e o risco de mortalidade em trinta dias após um AVC

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo de coorte1 de base populacional, usando uma base de dados médicos, identificou todas as primeiras internações por acidente vascular cerebral2 (AVC), na Dinamarca, entre 2004 e 2012 (n=100.043) e a mortalidade3 subsequente. O uso de AINEs foi categorizado como uso corrente (resgate de prescrição no prazo de 60 dias antes da internação), uso prévio e não utilizado. O uso corrente foi ainda classificado como novo ou no longo prazo. A regressão de Cox foi utilizada para calcular a taxa de risco (HR) de morte dentro de 30 dias após o AVC, controlando fatores potenciais de confusão através de ajustes multivariáveis e escore de propensão.

A HR ajustada de morte por acidente vascular cerebral2 isquêmico4 foi de 1,19 (intervalo de confiança de 95% [IC]: 1,02-1,38) para os usuários atuais dos inibidores seletivos da ciclo-oxigenase 2 (COX-2) em comparação com os não usuários, impulsionados pelo efeito entre os novos usuários (1,42; IC 95%: 1,14-1,77). Comparando os diferentes inibidores da COX-2, a HR foi impulsionada pela utilização atual de antigos inibidores COX-2 tradicionais (1,42, IC 95%: 1,14-1,78), entre os quais foi de 1,53 (IC 95%: 1,02-2,28) para o etodolaco e 1,28 (IC 95%: 0,98-1,68) para o diclofenaco. A análise de propensão de correspondência apoiou a associação entre o uso de inibidores COX-2 mais antigos e mortalidade3 por AVC isquêmico4. Não houve associação entre pessoas que usaram previamente este tipo de medicação e o risco de mortalidade3 por AVC. A mortalidade3 por hemorragia5 intracerebral não foi associada ao uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) não seletivos ou inibidores seletivos da COX-2.

Concluiu-se que o uso pré-admissional de inibidores seletivos da COX-2 foi associado ao aumento da mortalidade3 em trinta dias após um acidente vascular cerebral2 isquêmico4, mas não após um AVC hemorrágico6. O uso de AINEs não seletivos no momento da admissão não foi associado à mortalidade3 por acidente vascular cerebral2 isquêmico4 ou hemorragia5 intracerebral.

Fonte: Neurology, publicação online de 5 de novembro de 2014

NEWS.MED.BR, 2014. Neurology: anti-inflamatórios não-esteroides e o risco de mortalidade em trinta dias após um AVC. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/581787/neurology-anti-inflamatorios-nao-esteroides-e-o-risco-de-mortalidade-em-trinta-dias-apos-um-avc.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
2 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
5 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
6 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
Gostou do artigo? Compartilhe!