Gostou do artigo? Compartilhe!

Efeitos da restrição de sódio e da hidroclorotiazida na eficácia do bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona na nefropatia diabética: ensaio clínico publicado pelo The Lancet

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A redução da ingestão de sódio na dieta ou o tratamento diurético1 aumenta a eficácia do bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) na nefropatia2 não diabética. O objetivo do estudo publicado pelo The Lancet foi investigar o efeito da restrição de sódio e do diurético1 hidroclorotiazida, isoladamente e em combinação, no bloqueio do SRAA na albuminúria3 residual em pacientes com nefropatia2 diabética tipo 2.

Neste estudo multicêntrico, duplo-cego, controlado por placebo4, cruzado e randomizado5, foram incluídos pacientes com nefropatia2 diabética tipo 2. Critérios de entrada principais foram microalbuminúria6 ou macroalbuminúria7 e clearance de creatinina8 de 30 mL/min ou superior com menos de 6 mL/min de declínio no ano anterior. Foram testados os efeitos separados e combinados da restrição de sódio (aconselhamento dietético no ambulatório) e do uso de hidroclorotiazida (50 mg por dia), somados à inibição padronizada máxima da enzima9 conversora de angiotensina (IECA) (lisinopril 40 mg por dia) na albuminúria3 (resultado primário). Os pacientes receberam hidroclorotiazida (50 mg por dia) ou placebo4 durante quatro períodos de tratamento de seis semanas. Ambos os tratamentos foram combinados com dieta regular de sódio ou de restrição de sódio (a meta da ingestão de sódio era de 50 mmol de sódio por dia). Os períodos de tratamento de seis semanas foram realizados consecutivamente numa ordem aleatória. Os pacientes foram randomizados em blocos de dois pacientes. O ensaio clínico foi analisado por intenção de tratar.

Dos 89 pacientes elegíveis, 45 foram incluídos na pesquisa. Tanto a restrição de sódio quanto o uso de hidroclorotiazida reduziram significativamente a albuminúria3, independentemente da sequência de tratamento. A média geométrica de albuminúria3 residual com o tratamento inicial foi de 711 mg por dia (IC 95% 485-1043), que foi significativamente reduzida pela restrição de sódio (393 mg por dia [258-599], p=0,0002), pela hidroclorotiazida (434 mg por dia [306-618], p=0,0003) e em maior extensão pela sua combinação (306 mg por dia [203-461], p< 0,0001). Queixas ortostáticas estavam presentes em dois pacientes (4%) durante o tratamento inicial, cinco (11%) durante a adição da restrição de sódio, cinco (11%) durante o tratamento com a hidroclorotiazida e doze (27%) durante o tratamento com a combinação. Nenhum evento adverso grave ocorreu.

Conclui-se que a restrição de sódio é uma intervenção não farmacológica eficaz para aumentar a eficácia do bloqueio do SRAA na nefropatia2 diabética tipo 2.

Fonte: The Lancet Diabetes10 & Endocrinology, publicação online de 5 de março de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Efeitos da restrição de sódio e da hidroclorotiazida na eficácia do bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona na nefropatia diabética: ensaio clínico publicado pelo The Lancet. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/527144/efeitos-da-restricao-de-sodio-e-da-hidroclorotiazida-na-eficacia-do-bloqueio-do-sistema-renina-angiotensina-aldosterona-na-nefropatia-diabetica-ensaio-clinico-publicado-pelo-the-lancet.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.

Complementos

1 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
2 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
3 Albuminúria: Presença de albumina na urina. A albuminúria pode ser um sinal de nefropatia diabética (doença nos rins causada pelas complicações do diabetes mal controlado) ou aparecer em infecções urinárias.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Microalbuminúria: Pequena quantidade da proteína chamada albumina presente na urina, detectável por exame laboratorial. É um sinal precoce de dano aos rins (nefropatia), uma complicação comum e séria do diabetes. A ADA (American Diabetes Association) recomenda que as pessoas com diabetes tipo 2 testem a microalbuminúria no momento do diagnóstico e uma vez por ano após o diagnóstico. Pessoas com diabetes tipo 1 devem ser testadas após 5 anos do diagnóstico e a cada ano após o diagnóstico. A microalbuminúria é evitada com o controle da glicemia, redução na pressão sangüínea e modificação na dieta.
7 Macroalbuminúria: Macroalbuminúria ou nefropatia clínica, também conhecida como fase de proteinúria. Nesta fase, os pacientes apresentam excreção urinária de albumina maior ou igual a 200 microgramas por minuto ou proteinúria maior ou igual a 500 mg em 24 horas.
8 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
9 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
10 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
Gostou do artigo? Compartilhe!