Gostou do artigo? Compartilhe!

Ablação por laser ou cirurgia para veias varicosas mostra melhor qualidade de vida específica em cinco anos do que a escleroterapia com espuma, publicado pelo The New England Journal of Medicine

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A ablação1 por laser endovenoso e a escleroterapia2 com espuma guiada por ultrassonografia3 são alternativas recomendadas à cirurgia para o tratamento de varizes4 primárias, mas sua eficácia comparativa a longo prazo permanece incerta.

Saiba mais sobre "Varizes4", "Escleroterapia2" e "Cirurgia de varizes4".

Em um estudo randomizado5 e controlado envolvendo 798 participantes com varizes4 primárias em 11 centros no Reino Unido, pesquisadores do Institute of Cardiovascular Research, da University of Glasgow e de outras universidades colaboradoras, compararam os resultados da ablação1 a laser, escleroterapia2 com espuma e cirurgia para veias6 varicosas.

Os desfechos primários em 5 anos foram qualidade de vida específica da doença e qualidade de vida genérica, bem como a relação custo-efetividade baseada em modelos de custos esperados e anos de vida ajustados pela qualidade (QALYs) obtidos com o uso de dados sobre os custos de tratamento dos participantes e escores no questionário EuroQol EQ-5D.

Os questionários de qualidade de vida foram preenchidos por 595 (75%) dos 798 participantes do estudo. Após ajuste para escores basais e outras covariáveis, os escores do Aberdeen Varicose Vein Questionnaire (no qual os escores variam de 0 a 100, com escores mais baixos indicando melhor qualidade de vida) foram menores entre os pacientes submetidos à ablação1 por laser ou cirurgia padrão do que entre aqueles submetidos à escleroterapia2 com espuma (tamanho do efeito [diferenças ajustadas entre os grupos] para ablação1 a laser versus escleroterapia2 com espuma, -2,86; intervalo de confiança de 95% [IC], -4,49 a -1,22; P<0,001; e para cirurgia versus escleroterapia2 com espuma, -2,60; IC 95%, -3,99 a -1,22; P<0,001).

As medidas genéricas de qualidade de vida não diferiram entre os grupos de tratamento. Em um limiar de disponibilidade para pagamento de £20.000 ($28.433 em dólares americanos) por QALY, 77,2% das iterações do modelo de custo-efetividade favoreceram a ablação1 por laser. Em uma comparação bidirecional entre escleroterapia2 com espuma e cirurgia, 54,5% das iterações do modelo favoreceram a cirurgia.

Concluiu-se que em um estudo randomizado5 de tratamentos para veias6 varicosas, a qualidade de vida específica da doença, cinco anos após o tratamento, foi melhor após a ablação1 por laser ou cirurgia padrão do que após escleroterapia2 com espuma. A maioria das iterações do modelo probabilístico de custo-efetividade favoreceu a ablação1 por laser com uma relação de disponibilidade para pagamento de £20.000 ($28.433) por QALY.

Leia também sobre "Prevenção das varizes4", "Safenectomia" e "Flebite7".

 

Fonte: The New England Journal of Medicine, em 5 de setembro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Ablação por laser ou cirurgia para veias varicosas mostra melhor qualidade de vida específica em cinco anos do que a escleroterapia com espuma, publicado pelo The New England Journal of Medicine. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1345828/ablacao-por-laser-ou-cirurgia-para-veias-varicosas-mostra-melhor-qualidade-de-vida-especifica-em-cinco-anos-do-que-a-escleroterapia-com-espuma-publicado-pelo-the-new-england-journal-of-medicine.htm>. Acesso em: 12 nov. 2019.

Complementos

1 Ablação: Extirpação de qualquer órgão do corpo.
2 Escleroterapia: É um procedimento que consiste na injeção de determinados medicamentos ”esclerosantes” dentro de um capilar, vênula ou veia de modo a destruí-la. É usada principalmente para o tratamento de varizes e hemorroidas.
3 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
4 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
5 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
7 Flebite: Inflamação da parede interna de uma veia. Pode ser acompanhada ou não de trombose da mesma.
Gostou do artigo? Compartilhe!