Gostou do artigo? Compartilhe!

Eventos vasculares, infecções e cânceres são os três principais responsáveis por danos graves relacionados a diagnósticos incorretos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os erros de diagnóstico1 causam danos substanciais e evitáveis, mas as estimativas norte americanas variam muito, de 40.000 a 4 milhões por ano. Esta análise transversal de uma grande base de dados de reclamações por negligência2 médica foi a primeira fase de um projeto trifásico para estimar a carga de danos graves relacionados a diagnósticos incorretos nos EUA.

Os pesquisadores do The Johns Hopkins University School of Medicine e colaboradores de outras universidades procuraram identificar as doenças que representam a maioria dos danos graves relacionados com o diagnóstico1 incorreto (morbilidade/mortalidade3). Os casos de erros de diagnóstico1 foram identificados a partir da base de dados Controlled Risk Insurance Company (CRICO)’s Comparative Benchmarking System (CBS) (2006-2015), representando 28,7% de todas as queixas por erro médico nos EUA.

As doenças foram agrupadas de acordo com o software Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ) Clinical Classifications Software (CCS) que agrega os códigos de diagnóstico1 da Classificação Internacional de Doenças em agrupamentos clinicamente sensíveis.

Foram analisados eventos vasculares4, infecções5 e cânceres (os "Três Grandes"), incluindo frequência, gravidade e configurações. Os danos de alta gravidade foram definidos por escores de 6-9 (incapacidade grave, permanente ou morte) na escala National Association of Insurance Commissioners (NAIC) Severity of Injury Scale.

Dos 55.377 casos encerrados, foram analisados 11.592 casos de erro diagnóstico1 [mediana da idade 49 anos, intervalo interquartil (IQR) 36-60 anos; 51,7% do sexo feminino]. Estes incluíram 7.379 com danos de alta gravidade (53,0% morte). As “três grandes” doenças representaram 74,1% dos casos de alta gravidade.

  1. Eventos vasculares4: 22,8%
  2. Infecções5: 13,5%
  3. Cânceres: 37,8%

No total, os cinco primeiros de cada categoria (n=15 doenças) responderam por 47,1% dos casos de alta gravidade. A doença mais frequente em cada categoria, respectivamente, foi acidente vascular cerebral6 (AVC), sepse7 e câncer8 de pulmão9.

As causas foram desproporcionalmente fatores de julgamento clínico (85,7%) em todas as categorias (variação de 82,0-88,8%).

Concluiu-se nesta análise que as “três grandes” doenças responsáveis por cerca de três quartos dos danos graves relacionados com os erros de diagnóstico1 são eventos vasculares4, infecções5 e cânceres. Por isso, os esforços iniciais para melhorar o diagnóstico1 devem centrar-se nessas patologias.

Leia sobre "Diferenças entre inflamação10 e infecção11", "Acidentes vasculares4 cerebrais" e "Septicemia12".

 

Fonte: Diagnosis - Official Journal of the Society to Improve Diagnosis in Medicine (SIDM), publicação online em 11 de julho de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Eventos vasculares, infecções e cânceres são os três principais responsáveis por danos graves relacionados a diagnósticos incorretos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1341433/eventos-vasculares-infeccoes-e-canceres-sao-os-tres-principais-responsaveis-por-danos-graves-relacionados-a-diagnosticos-incorretos.htm>. Acesso em: 22 ago. 2019.

Complementos

1 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
2 Negligência: Falta de cuidado; incúria. Falta de apuro, de atenção; desleixo, desmazelo. Falta de interesse, de motivação; indiferença, preguiça. Inobservância e descuido na execução de ato.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
7 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
8 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
9 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
10 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
11 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
Gostou do artigo? Compartilhe!