Gostou do artigo? Compartilhe!

Consumo de frituras pode estar associado a maior risco de morte na pós-menopausa: publicado pelo BMJ

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Com o objetivo de examinar a associação entre o consumo total e individual de alimentos fritos com a mortalidade1 por todas as causas e por causa específica, em mulheres na pós-menopausa2, nos Estados Unidos, foi realizado um estudo de coorte3 prospectivo4 publicado pelo BMJ.

Saiba mais sobre "Menopausa2".

Com base em dados do estudo Women’s Health Initiative, realizado em 40 centros clínicos nos EUA, a presente pesquisa contou com a participação de 106.966 mulheres pós-menopáusicas, com idades entre 50-79 no início do estudo, que foram inscritas entre setembro de 1993 e 1998 no Women’s Health Initiative e seguidas até fevereiro de 2017.

As principais medidas de resultados foram mortalidade1 por todas as causas, mortalidade1 cardiovascular e mortalidade1 por câncer5. Os resultados mostram que 31.558 mortes ocorreram durante o acompanhamento de 1.914.691 pessoas/ano.

Para o consumo total de frituras, comparando pelo menos uma porção por dia com a ausência de consumo, a taxa de risco ajustada multivariada foi de 1,08 (intervalo de confiança de 95% 1,01 a 1,16) para mortalidade1 por todas as causas e 1,08 (0,96 a 1,22) para mortalidade1 cardiovascular.

Ao comparar o consumo de pelo menos uma porção por semana de frango frito e ausência de consumo, a taxa de risco foi 1,13 (1,07 a 1,19) para mortalidade1 por todas as causas e 1,12 (1,02 a 1,23) para mortalidade1 cardiovascular. Para peixes/moluscos fritos, as taxas de risco correspondentes foram 1,07 (1,03 a 1,12) para mortalidade1 por todas as causas e 1,13 (1,04 a 1,22) para mortalidade1 cardiovascular.

O consumo total ou individual de frituras, de forma geral, não foi associado à mortalidade1 por câncer5.

Concluiu-se neste estudo que o consumo frequente de alimentos fritos, especialmente frango frito e peixe/molusco frito, foi associado a um maior risco de morte por todas as causas e de morte por causas cardiovasculares em mulheres norte-americanas na pós-menopausa2.

Leia sobre "Prevenção do câncer5", "Doenças cardiovasculares6", "Climatério7 e Menopausa2" e "Terapia de reposição hormonal".

 

Fonte: BMJ, em 23 de janeiro de 2019

 

NEWS.MED.BR, 2019. Consumo de frituras pode estar associado a maior risco de morte na pós-menopausa: publicado pelo BMJ. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1333333/consumo-de-frituras-pode-estar-associado-a-maior-risco-de-morte-na-pos-menopausa-publicado-pelo-bmj.htm>. Acesso em: 23 out. 2019.

Complementos

1 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
2 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
3 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
4 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
6 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
7 Climatério: Conjunto de mudanças adaptativas que são produzidas na mulher como conseqüência do declínio da função ovariana na menopausa. Consiste em aumento de peso, “calores” freqüentes, alterações da distribuição dos pêlos corporais, dispareunia.
Gostou do artigo? Compartilhe!