Gostou do artigo? Compartilhe!

Ômega-3 pode ajudar na prevenção da retinopatia diabética em indivíduos de meia-idade e idosos com diabetes tipo 2

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A retinopatia diabética1 (RD) é uma complicação séria em indivíduos com diabetes mellitus2 tipo 2. A retina3 é rica em ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa ω-3 (LCω3PUFAs), que são substratos para as oxilipinas, com propriedades anti-inflamatórias e anti-angiogênicas. Modelos experimentais reforçam a proteção contra RD com a ingestão de alimentos com LCω3PUFA, mas faltam dados clínicos.

Saiba mais sobre "Retinopatia diabética1" e "Diabetes Mellitus2".

No final de 2015, um estudo prospectivo4 dentro do ensaio clínico randomizado5 Prevención con Dieta Mediterránea (PREDIMED), testando dietas mediterrâneas suplementadas com óleo de oliva extra-virgem ou nozes versus uma dieta controle para a prevenção cardiovascular primária, foi conduzido em centros de cuidados de saúde6 primários na Espanha. De 2003 a 2009, 3.614 indivíduos, com idades entre 55 e 80 anos, com diagnóstico7 prévio de diabetes tipo 28, foram recrutados. Os dados completos estavam disponíveis para 3.482 participantes. Os pacientes precisavam cumprir a recomendação de ingestão dietética de LCω3PUFA de pelo menos 500 mg/dia, para a prevenção cardiovascular primária, tal como avaliado por um questionário de frequência alimentar validado.

O principal resultado foi a RD incidente9 exigindo fotocoagulação a laser, vitrectomia e/ou terapia anti-angiogênica confirmada por um comitê de julgamento externo.

Dos 3.482 participantes, 48% eram homens e a média de idade era de 67 anos. Um total de 2.611 participantes (75%) seguiu a recomendação dietética com LCω3PUFA. Durante um período de acompanhamento médio de 6 anos, foram documentados 69 novos eventos. Após ajustes para idade, sexo, grupo de intervenção, estilo de vida e variáveis clínicas, os participantes que cumpriram a recomendação LCω3PUFA no início do estudo (≥500 mg/dia) em comparação com aqueles que não cumpriram esta recomendação (<500 mg/dia) apresentaram redução de relativamente 48% no risco de RD com risco para visão10, com uma taxa de risco de 0,52 (IC 95%, 0,31-0,88; P=0,001). Esta associação foi ligeiramente mais forte para a ingestão de LCω3PUFA atualizada anualmente (risco relativo, 0,48; IC 95%, 0,28-0,82; P=0,007).

As conclusões mostram que indivíduos de meia-idade e idosos com diabetes tipo 28, que ingerem pelo menos 500 mg/dia de LCω3PUFA na dieta, facilmente alcançável com duas porções semanais de peixes oleosos, apresentam diminuição no risco de RD com risco de danos à visão10. Os resultados estão de acordo com os resultados de modelos experimentais e com o atual modelo de patogênese11 da retinopatia diabética1.

Leia mais em "Prevenindo o Diabetes Mellitus2", "O que afeta o comportamento da sua glicemia12?", "Diabetes gestacional13" e "Curva glicêmica14".

 

Fonte: JAMA Ophthalmology, publicação online, de 18 de agosto de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Ômega-3 pode ajudar na prevenção da retinopatia diabética em indivíduos de meia-idade e idosos com diabetes tipo 2. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1273788/omega-3-pode-ajudar-na-prevencao-da-retinopatia-diabetica-em-individuos-de-meia-idade-e-idosos-com-diabetes-tipo-2.htm>. Acesso em: 21 mai. 2019.

Complementos

1 Retinopatia diabética: Dano causado aos pequenos vasos da retina dos diabéticos. Pode levar à perda da visão. Retinopatia não proliferativa ou retinopatia background Caracterizada por alterações intra-retinianas associadas ao aumento da permeabilidade capilar e à oclusão vascular que pode ou não ocorrer. São encontrados microaneurismas, edema macular e exsudatos duros (extravasamento de lipoproteínas). Também chamada de retinopatia simples.
2 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
3 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
4 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
5 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
8 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
9 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
10 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
11 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
12 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
13 Diabetes gestacional: Tipo de diabetes melito que se desenvolve durante a gravidez e habitualmente desaparece após o parto, mas aumenta o risco da mãe desenvolver diabetes no futuro. O diabetes gestacional é controlado com planejamento das refeições, atividade física e, em alguns casos, com o uso de insulina.
14 Curva Glicêmica: Ou TOTG. Segundo a NDDG (National Diabetes Data Group) o teste é feito após jejum de 12 a 16 horas, 3 dias de dieta prévia contendo no mínimo 150 gramas de carboidrato/dia. Durante o teste: não pode fumar ou comer e deve permanecer em repouso total, pode ingerir apenas água. Coleta-se uma amostra de glicemia de jejum. Administra-se ao paciente sobrecarga de glicose: No adulto: 75g Na gestante: até 100g a critério médico Em crianças: 1,75 g/ kg de peso. A concentração da solução não deve ultrapassar 25 g/dl, e o tempo de ingestão deve ser inferior a 5 minutos. Coleta-se amostras de sangue a cada 30 minutos, até 120 minutos de teste - 5 amostras. Na interpretação do teste: Normal: Glicemia de jejum inferior a 110 mg/dl Glicemia após 120 minutos inferior a 140 mg/dl Nenhum valor durante o teste superior a 200 mg/dl Tolerância Diminuída à Glicose: Glicemia de jejum inferior a 140 mg/dl Glicemia após 120 minutos entre 140 e 200 mg/dl No máximo um valor durante o teste superior a 200 mg/dl Diabetes Melito: Glicemia de jejum superior a 140 mg/dl Todos os outros resultados da curva superiores a 200 mg/dl Diabetes Gestacional: pelo menos 2 resultados como se segue: Glicemia de jejum superior a 105,0 mg/dl Glicemia de 1 hora superior a 190,0 mg/dl Glicemia de 2 horas superior a 165,0 mg/dl Glicemia de 3 horas superior a 145,0 mg/dl.
Gostou do artigo? Compartilhe!