Gostou do artigo? Compartilhe!

Câncer de próstata é descoberto tarde em 31% dos casos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia
Quase um terço (31%) dos homens com câncer1 de próstata2 atendidos no sistema público de saúde3 do Estado de São Paulo tem a doença diagnosticada em estado avançado ou já atingindo outras partes do corpo. Na rede privada ou conveniada, o índice de detecção tardia é 21%.

Os dados constam do primeiro estudo sobre câncer1 da próstata2 já realizado no Brasil, envolvendo 110 urologistas paulistas (cerca de 10% do total) e 1.915 pacientes que procuraram os serviços de saúde3 (públicos e privados) em diferentes estágios da doença. Mais da metade dos pacientes pesquisados (57%) teve que sair da sua cidade de origem para conseguir o atendimento.

Detectado em estágio inicial, há 90% de chances de cura. Quando a doença ultrapassa os limites da próstata2, o índice cai para, no máximo, 30%. Dos pesquisados, 53,5% foram atendidos no SUS; 37% por planos de saúde3 e 9% na clínica particular. A idade média foi de 67,4 anos.

Uma das surpresas do estudo foi o fato de a doença predominar entre indivíduos brancos (85,2%). Nos EUA, os negros são os mais atingidos. Em compensação, a doença tende a ser mais agressiva entre os pacientes de cor negra em comparação aos brancos (47,2% contra 40,8%).

O preconceito contra o exame de toque retal, que dura entre 5 e 7 segundos, é um dos fatores que faz com que o homem brasileiro perca a batalha contra o câncer1 de próstata2. A mortalidade4 desta doença aumentou cerca de 10% no estado de São Paulo entre 1999 e 2002. No biênio 1999-2000, a mortalidade4 da doença atingia 10,6% para cada 100 mil habitantes do estado. Entre 2001-2002, essa taxa subiu para 11,7%, ficando atrás apenas das mortes por tumores pulmonares e gástricos.

Nos Estados Unidos, a mortalidade4 do tumor5 de próstata2 cai em média 4% ao ano, enquanto a incidência6 sobe 2% no mesmo período. Em 2005, o Instituto Nacional do Câncer1 (Inca) prevê que cerca de 46.330 homens serão vítimas do câncer1 de próstata2 no Brasil. No estado de São Paulo, são estimados 13.020 novos casos da doença, sendo que 4.230 só na capital. As estimativas apontam que a incidência6 de casos será este ano de 65,7 casos por 100 mil homens em todo o estado e de 77,9 casos por 100 mil homens na capital.

O exame de toque retal com suspeita de anomalia aliado ao teste de dosagem de PSA (uma enzima7 típica das células8 da próstata2) com resultado acima de 4 é capaz de detectar 80% dos casos de câncer1. Quando o toque retal é normal e o teste de PSA fica entre 0 e 4, o nível de detecção do câncer1 de próstata2 fica entre 17% e 21%. Se o toque retal aponta anormalidade na glândula9 e o PSA também está entre 0 e 4, o nível de detecção sobe para o patamar entre 41% e 72%.

O aumento dos casos de câncer1 de próstata2 está diretamente ligado ao envelhecimento da população. Entre os homens até 50 anos, 30% têm chance de ter a doença. Entre os homens com mais de 80 anos, a chance sobe para 80%. Para evitá-lo, é preciso ter qualidade de vida, uma dieta saudável e exercícios físicos. Há indicações de que o licopeno, substância presente no tomate e na casca da uva, pode ajudar a proteger contra a doença, mas ainda faltam comprovações científicas para isso.

Quando a doença está no início, ela é completamente assintomática. Por isso a recomendação dos médicos é que os homens façam exames anuais de toque retal a partir de 35 anos. Em estado avançado, o câncer1 de próstata2 pode provocar dor nos ossos (as principais metástases10 deste tipo de tumor5 ocorre nos ossos e nos pulmões11), sangramento uretral12 e obstrução do fluxo de urina13.

Fonte: Sociedade Brasileira de Urologia
NEWS.MED.BR, 2005. Câncer de próstata é descoberto tarde em 31% dos casos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/972/cancer-de-prostata-e-descoberto-tarde-em-31-dos-casos.htm>. Acesso em: 19 set. 2020.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Próstata: Glândula masculina, responsável por produzir o líquido e as proteínas que acompanham os espermatozóides no sêmen. Tem forma de amêndoa e localiza-se na base da bexiga, circundando a saída da uretra.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
10 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
11 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
12 Uretral: Relativo ou pertencente à uretra.
13 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

22/04/2006 - Complemento feito por ANtonio
Re: Câncer de próstata é descoberto tarde em 31% dos casos
Acho muito interessante a matéria porque o câncer de prostata é uma realidade que pode ser evitada, porém isto não está ocorrendo. É necessário abordar o assunto sucessivamente para quebrar o tabu do toque retal e valorizar mais a vida. Campanhas maciças e colocar oa ssunto sempre em pauta.

  • Entrar
  • Assinar