Gostou do artigo? Compartilhe!

OMS cogita introduzir a leishmaniose visceral como doença indicadora da Aids

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A infecção1 pelo HIV2 atinge mais de 30 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde3 (OMS). A Aids é um desafio à saúde3 pública pelos danos que causa à saúde3 e também pela ocorrência de infecções4 oportunistas - que se desenvolvem paralelamente à Aids, agravando o quadro do paciente. Entre elas estão a pneumonia5, a tuberculose6, a citomegalovirose e o sarcoma de Kaposi7. Recentemente, pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) investigam a emergência8 da leishmaniose como uma importante infecção1 oportunista ao vírus9 HIV2 tipo 1 (HIV2-1).

 

Causada por parasitos do gênero Leishmania transmitidos ao homem por insetos flebotomíneos, a leishmaniose pode se manifestar de forma relativamente branda, provocando lesões10 na pele11 e mucosas12 (leishmaniose tegumentar americana), ou grave, atingindo vísceras (leishmaniose visceral). De acordo com o Ministério da Saúde3, 90% dos casos de leishmaniose visceral resultam em óbito13.


O impacto epidemiológico da co-infecção1 é tão significativo que a OMS cogita introduzir a leishmaniose visceral como doença indicadora da Aids. A associação entre leishmaniose e Aids é recente e apresenta um número crescente de casos no Brasil e no mundo – sobretudo na região mediterrânea da Europa, que compreende Espanha, França, Itália e Portugal. Atualmente, no Brasil, os especialistas observam um fenômeno de sobreposição das infecções4, caracterizado pela ruralização da Aids e pela urbanização das leishmanioses, que indica a emergência8 da doença parasitária como uma importante infecção1 oportunista ao HIV2-1.


Pesquisadores do Laboratório de Aids e Imunologia Molecular do IOC estudam os perfis imunológicos da co-infecção1, comparando-os aos padrões encontrados em indivíduos infectados somente pelo HIV2-1, buscando a definição dos padrões imunológicos presentes em pacientes infectados simultaneamente por HIV2-1 e Leishmania.


Ainda em fase inicial, pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Biologia Parasitária do IOC apresenta resultados preliminares que apontam uma molécula de ativação presente em células14 de defesa como possível marcador imunológico da co-infecção1. Os estudos indicam que esta molécula pode sinalizar a possibilidade de reativação da leishmaniose em pacientes assintomáticos para a doença, ou em indivíduos que já tenham sido tratados clinicamente. 


Fonte: Instituto Oswaldo Cruz

NEWS.MED.BR, 2008. OMS cogita introduzir a leishmaniose visceral como doença indicadora da Aids. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/12841/oms-cogita-introduzir-a-leishmaniose-visceral-como-doenca-indicadora-da-aids.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
6 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
7 Sarcoma de Kaposi: Câncer originado de células do tecido vascular, freqüentemente associado à AIDS. Manifesta-se por lesões vermelho-violáceas em diferentes territórios cutâneos e mucosos.
8 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
9 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
10 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
13 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
14 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
Gostou do artigo? Compartilhe!