Atalho: 5GS5AZ9
Gostou do artigo? Compartilhe!

Especial Crescimento Infantil: OMS estabelece padrão universal de desenvolvimento para as crianças

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo divulgado pela Organização Mundial de Saúde1 (OMS) revelou que uma vida saudável nos cinco primeiros anos é mais relevante para o crescimento infantil2 do que características étnicas ou genéticas. Para chegar a este resultado, a OMS acompanhou mais de 8 mil crianças no Brasil, Gana, Índia, Noruega, Omã e Estados Unidos durante os 5 primeiros anos de suas vidas.

Para participar do estudo, a OMS selecionou crianças que tivessem aleitamento materno3 garantido, boas condições de nutrição4 e saúde1 e mães não-fumantes. No gráfico com os resultados do estudo, as curvas de crescimento das crianças nos diversos países se mosraram praticamente iguais.

O resultado prático do estudo foi a elaboração de uma série de padrões alimentares e de saúde1 com referências exatas para se identificar quando as condições ideais de crescimento não estão sendo atingidas.

No relatório, foram incluídas tabelas para diversas metas, como peso por idade, comprimento e altura por idade e índice de massa corporal5, além de referências para momentos do desenvolvimento motor, como sentar-se, levantar-se e caminhar. Todos os dados devem ser interpretados por um médico. A Associação Pediátrica Internacional está encorajando seus membros a adotarem o novo padrão.

Para a OMS, os problemas mais comuns que afetam o crescimento - como subnutrição e obesidade6 - podem ser detectados e corrigidos ainda nos primeiros anos de vida. Os novos padrões pretendem ser uma ferramenta importante para a redução das taxas de mortalidade infantil7. Estimativas da OMS dão conta de que há cerca de 170 milhões de crianças subnutridas no mundo, causando 3 milhões de mortes por ano.

Os padrões serão uma forma eficaz para detectar também a obesidade6. A nova curva permite o diagnóstico8 precoce do ganho excessivo de peso. De fato, a atual epidemia de obesidade6 em muitos países teria sido detectável precocemente se este padrão estivesse disponível há 20 anos. Atualmente, 20 milhões de crianças com menos de 5 anos estão acima do peso ideal.

No Brasil, o novo padrão foi lançado oficialmente no dia 27 de abril, durante o Seminário de Lançamento da Curva da Criança da OMS. A iniciativa da Coordenação de Saúde1 da Criança do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas da Secretaria de Atenção à Saúde1, junto com a Organização Pan-Americana de Saúde1, mostrou a nova curva de crescimento infantil2 da OMS e discutiu a agenda para a implantanção do novo controle no Brasil.


Mais informações: WHO Child Growth Standards

Para acompanhar o crescimento do seu filho: www.centralx9.com.br/crianca

Confira também os indicadores oficiais da OMS. 

NEWS.MED.BR, 2006. Especial Crescimento Infantil: OMS estabelece padrão universal de desenvolvimento para as crianças. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1276/especial-crescimento-infantil-oms-estabelece-padrao-universal-de-desenvolvimento-para-as-criancas.htm>. Acesso em: 16 jul. 2018.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Crescimento Infantil: Aumento na estrutura do corpo, tendo em vista a multiplicação e o aumento do tamanho das células. Controla-se principalmente o peso corporal, a estatura e o perímetro cefálico, com o objetivo de saber o quanto a criança ganhou ou perdeu em determinados intervalos de tempo e tendo por base um acompanhamento a longo prazo, através de anotações em gráficos ou curvas de crescimento. O pediatra precisa conhecer e analisar vários fatores referentes à criança e a sua família, como o peso e a altura dos pais, o padrão de crescimento deles, os dados da gestação, o peso e a estatura ao nascimento e a alimentação do bebê para avaliar a situação do crescimento de determinada criança. Não é simplesmente consultar gráficos. Somente o médico da criança pode avaliar seu crescimento. Uma criança pode estar fora da “faixa mais comum de referência“ e, ainda assim, ter um crescimento normal.
3 Aleitamento Materno: Compreende todas as formas do lactente receber leite humano ou materno e o movimento social para a promoção, proteção e apoio à esta cultura. Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
4 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
5 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
7 Mortalidade Infantil: A taxa de mortalidade infantil é o quociente entre os óbitos de menores de um ano ocorridos em uma determinada unidade geográfica e período de tempo, e os nascidos vivos da mesma unidade nesse período, segundo a fórmula: Taxa de Mortalidade Infantil = (Óbitos de Menores de 1 ano / Nascidos Vivos) x 1.000
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Centralx: Empresa fornecedora de produtos e serviços na área de medicina. Fundada em 1989 a Centralx é líder no mercado de softwares e sistemas de informação médicos no Brasil.
Gostou do artigo? Compartilhe!