Gostou do artigo? Compartilhe!

Maior grau de inibição da recaptação de serotonina de antidepressivos pode reduzir risco isquêmico, publicado pelo Neurology

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo de coorte1, publicado pelo periódico Neurology, mostra que o uso de antidepressivos com forte inibição da recaptação de serotonina está associado a uma pequena diminuição da incidência2 de acidente vascular cerebral3 isquêmico4 e infarto do miocárdio5 (IM).

Saiba mais sobre "Antidepressivos", "Acidente vascular cerebral3" e "Infarto do miocárdio5".

O estudo de coorte1 foi conduzido usando dados do UK Clinical Practice Research Datalink e considerando novos usuários de inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRSs) ou antidepressivos de terceira geração, com idade ≥ 18 anos, entre 1995 e 2014. Usando uma abordagem de caso-controle aninhado, os pesquisadores avaliaram cada caso de um primeiro acidente vascular cerebral3 isquêmico4 ou infarto do miocárdio5 identificado durante o acompanhamento, com até 30 controles com idade, sexo, tempo do calendário e duração do acompanhamento compatíveis. Estimou-se as razões de taxa de incidência2 (RR) e os intervalos de confiança de 95% (IC) de cada resultado associado ao uso atual de inibidores fortes comparados a inibidores fracos da serotonina usando regressão logística condicional.

A coorte6 incluiu 938.388 usuários novos de ISRSs (n = 868.755) ou antidepressivos de terceira geração (n = 69.633). A média de idade na entrada da coorte6 foi de 46 anos (64% mulheres). Durante o acompanhamento, 15.860 casos de acidente vascular cerebral3 isquêmico4 e 8.626 casos de IM foram identificados e combinados com 473.712 e 258.022 controles, respectivamente.

Em comparação com o uso atual de inibidores fracos da recaptação de serotonina, o uso atual de inibidores fortes foi associado a uma diminuição na taxa de acidente vascular cerebral3 isquêmico4 (RR 0,88; IC 95% 0,80–0,97), mas o tamanho do efeito foi menor em algumas análises de sensibilidade. A taxa de IM foi semelhante entre inibidores fortes e fracos (RR 1,00; IC 95% 0,87–1,15).

Concluiu-se neste grande estudo de base populacional que os antidepressivos que inibem fortemente a recaptação da serotonina podem estar associados a uma pequena diminuição na taxa de acidente vascular cerebral3 isquêmico4.

Veja também sobre "Depressões" e "O desafio das famílias que convivem com a doença mental".

 

Fonte: Neurology, em 7 de agosto de 2019

 

NEWS.MED.BR, 2019. Maior grau de inibição da recaptação de serotonina de antidepressivos pode reduzir risco isquêmico, publicado pelo Neurology. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1342943/maior-grau-de-inibicao-da-recaptacao-de-serotonina-de-antidepressivos-pode-reduzir-risco-isquemico-publicado-pelo-neurology.htm>. Acesso em: 6 dez. 2019.

Complementos

1 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
4 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
5 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
6 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
Gostou do artigo? Compartilhe!