news.med.br
Em um novo estudo dinamarquês, a exposição ao fluconazol não foi associada a um risco aumentado de natimortalidade ou de morte neonatal. O estudo foi publicado pelo periódico The Journal of the American Medical Association (JAMA).   [Mais...]
Estudo publicado no periódico The Lancet mostrou que os antidepressivos sertralina e mirtazapina, comumente usados em casos de depressão em pacientes com Alzheimer1, podem não ser uma boa escolha devido à ausência de benefícios e à presença de efeitos colaterais2.
1 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
2 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
   [Mais...]

Arroz doce, sonho e rabanada para diabéticos? Com a chegada das festas de fim de ano aproveitamos para republicar este livro de culinária com 45 receitas de pratos saborosos e saudáveis para toda a família.   [Mais...]
Um novo estudo, publicado no Journal of the American Society of Nephrology, está soando o alarme sobre o potencial aumento do risco de dano renal1 observado com o uso de rosuvastatina que não foi observado com outras terapias com estatinas. Os resultados do estudo, que avaliou a nefrotoxicidade2 da rosuvastatina contra a atorvastatina usando dados de prontuários eletrônicos desidentificados, demonstram que o uso de rosuvastatina foi associado a um risco 8% maior de hematúria3, um risco 17% maior de proteinúria4 e um risco 15% maior de desenvolver insuficiência renal5 com necessidade de terapia de substituição, como diálise6 ou transplante, em um acompanhamento médio de 3,1 anos em comparação ao uso de atorvastatina. Esses achados sugerem a necessidade de maior cuidado na prescrição e monitoramento da rosuvastatina, principalmente em pacientes que recebem altas doses ou que têm doença renal1 crônica grave.
1 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
2 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
3 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
4 Proteinúria: Presença de proteínas na urina, indicando que os rins não estão trabalhando apropriadamente.
5 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
6 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
   [Mais...]

A eletroacupuntura adicionada ao tratamento padrão melhorou o sono e a saúde1 mental em pessoas com insônia relacionada à depressão, mostrou um ensaio clínico randomizado2 publicado no JAMA Network Open. Em 8 semanas, uma mudança de -6,2 pontos da linha de base nos escores do Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI) foi observada em pessoas com depressão e insônia que receberam eletroacupuntura. Os participantes que fizeram eletroacupuntura tiveram uma mudança de -3,6 pontos nos escores do PSQI em 8 semanas em comparação com aqueles que receberam acupuntura simulada e uma mudança de -5,1 pontos em comparação com o tratamento padrão. A melhora na qualidade do sono foi mantida na semana 32. Os pacientes do grupo de eletroacupuntura tiveram uma maior redução da gravidade da insônia, humor depressivo e sintomas3 de ansiedade no final da intervenção de 8 semanas. Nenhum evento adverso grave foi registrado. Este estudo demonstra, portanto, que a eletroacupuntura com cuidados padrão aliviou significativamente a insônia entre pacientes com depressão.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
   [Mais...]

Uma política nacional nos Estados Unidos levou à redução de erros médicos prejudiciais e fatais. Em 2011, uma política limitou as horas de trabalho dos médicos residentes do primeiro ano a não mais de 16 horas consecutivas. A resposta ao limite foi mista e ele foi derrubado em 2017, permitindo novamente que os médicos residentes fossem escalados para até 24 horas de trabalho contínuo. Agora, um novo estudo realizado por pesquisadores da Harvard Medical School examinou o impacto do limite de 16 horas nos resultados de segurança de pacientes diretamente sob os cuidados de médicos residentes. Os resultados publicados no BMJ Quality & Safety mostraram que, após o ajuste para possíveis fatores de confusão, a política de horas de trabalho foi associada a um risco reduzido de 32% de erros médicos significativos relatados por médicos residentes, um risco reduzido de 34% de eventos adversos evitáveis e um risco reduzido de 63% de erros médicos relatados resultando em morte do paciente.   [Mais...]
Nova pesquisa publicada na revista científica Diabetologia fornece evidências sugerindo que a adesão a uma dieta composta por alimentos saudáveis, à base de plantas está associada a um menor risco de desenvolver diabetes tipo 21. Os resultados detalham uma associação inversa entre adesão a dietas à base de plantas e risco de diabetes tipo 21 ao avaliar a adesão usando pontuações de perfil metabólico para 3 índices derivados de questionários de frequência alimentar. Foram identificados perfis de multimetabólitos compreendendo 55 metabólitos2 para índice geral de dieta à base de plantas, 93 metabólitos2 para índice de dieta saudável à base de plantas e 75 metabólitos2 para índice de dieta não saudável à base de plantas. O estudo concluiu que perfis de metabólitos2 plasmáticos relacionados a dietas à base de plantas, especialmente uma dieta saudável à base de plantas, foram associados a um menor risco de diabetes tipo 21 entre uma população geralmente saudável.
1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
   [Mais...]

Os anticoagulantes1 orais diretos (DOACs) mostraram-se promissores no tratamento da trombose2 venosa cerebral, segundo o estudo observacional ACTION-CVT, com resultados publicados na revista científica Stroke. Quando comparado com a varfarina, o tratamento com DOAC foi associado a risco semelhante de trombose2 venosa recorrente, morte e taxa de recanalização parcial/completa, mas um risco menor de hemorragia3 grave. Assim, o estudo concluiu que, em pacientes com trombose2 venosa cerebral, o tratamento com anticoagulantes1 orais diretos foi associado a resultados clínicos e radiográficos semelhantes e perfil de segurança favorável quando comparado ao tratamento com varfarina. Esses achados precisam de confirmação por grandes estudos prospectivos ou randomizados.
1 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
2 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
3 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
   [Mais...]

Para lidar com a crescente epidemia de obesidade1, a American Heart Association (AHA) divulgou uma declaração científica delineando a base de conhecimento atual em torno de possíveis estratégias de prevenção e tratamento para o controle da hipertensão2 da obesidade1. A orientação foi publicada no periódico Hypertension. Os autores abordam como a modificação do estilo de vida, incluindo dieta, sedentarismo3 reduzido e aumento da atividade física, geralmente é recomendada para pacientes4 com obesidade1; no entanto, o sucesso a longo prazo dessas estratégias para reduzir a adiposidade, manter a perda de peso e reduzir a pressão arterial5 tem sido limitado. É sugerido então que estratégias farmacoterapêuticas e processuais eficazes, incluindo cirurgias metabólicas, são opções adicionais para tratar a obesidade1 e prevenir ou atenuar a hipertensão2 da obesidade1, danos a órgãos-alvo e doenças subsequentes.
1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
3 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
4 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
5 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
   [Mais...]

A hipercolesterolemia1 familiar é a doença cardiovascular hereditária mais comum e acarreta riscos significativos de morbidade2 e mortalidade3. O teste genético pode identificar os indivíduos afetados, mas alguns ensaios baseados em arranjos rastreiam apenas um pequeno subconjunto de variantes patogênicas conhecidas. Neste estudo, publicado pelo JAMA Cardiology, uma triagem de variantes limitadas apresentou uma taxa de detecção significativamente menor (8,4%) do que o teste de diagnóstico4 abrangente (27%). Esses resultados sugerem que achados clinicamente significativos para hipercolesterolemia1 familiar seriam perdidos para dois terços dos indivíduos afetados se a triagem de variantes limitadas fosse usada.
1 Hipercolesterolemia: Aumento dos níveis de colesterol do sangue. Está associada a uma maior predisposição ao desenvolvimento de aterosclerose.
2 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
   [Mais...]

Mostrar: 10
<< - « Anteriores - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - Próximos » - >>
91 a 100 (Total: 2216)
  • Entrar
  • Receber conteúdos